Arquivo para maio \31\UTC 2010

Pata de Elefante – Na Cidade

[yoda]Sinceridade requerida é agora [/yoda]. Não conheço muito bem a banda, na verdade só a ouço há um dia… mas acontece que vai ter um sccsschschschscxhcxhshxcshcxshow deles aqui em aracaju (yey!). Se trata de uma banda de rock instrumental, dá ênfase às melodias… ok, percebi agora que não sei o que falar.

O evento será no dia dos namorados perto da meia-noite no cinemark jardins; ingressos à venda na casa da cópia (é a sessão “notívagos”, consiste em show+2filmes cult+café-da-manhã+maconha) e você está convidado para minha festinha de aniversário.

O download do Cd, porém, não disponibilizarei aqui de forma direta, já que é possível baixá-lo de graça pela Trama álbum virtual… e baixando por lá você remunera o artista (yey!);

http://albumvirtual.trama.uol.com.br/servlet/SiteController?action=103&albumId=1128131230

(é necessário se cadastrar)

Arctic Monkeys – Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not

O álbum de estréia dos Arctic Monkeys é uma obra-prima da cena indie mundial; letras que se baseiam no cotidiano com musicalidade, realmente poesias acompanhadas por música. O CD foi eleito pela NME como o 4º melhor CD da década passada (esse álbum é de 2006) e é tido pelos fãs como o melhor da banda… embora eu discorde mas ok.

Vale muito a pena baixar, mesmo que sua internet esteja a 5 kb/s ou se você morar a 10 km do computador mais próximo, então eis o link:

http://www.4shared.com/file/-eQMkZoY/Arctic_Monkeys_-_Whatever_Peop.htm

The Invention of Lying (2009)

linda, linda, linda

Não tenho certeza se o titulo é A invenção da Mentira, então vai ficar em inglês mesmo.

A história do filme em si me agradou muito. Já achei genial só partindo daí. É uma ideia simples mas que no geral, ninguém costuma pensar. O que seria do mundo se todos só falassem a verdade? Nem aquelas mentirinhas inoscentes pra não ofender, mas sim a verdade, somente a verdade. Nesse mundo um homem descobre a mentira. Numa situação especifica ele conta uma mentira e descobre que tudo que ele disser será tido como verdade, por mais impossível que seja.

Continue lendo

Pink Floyd – Dark Side Of The Moon

Nesse cd do Pink Floyd vemos… bem, a perfeição chegando a seus ouvidos. Não estou brincando; Dark Side of the Moon, além de ser eleito pelo VATICANO como o segundo melhor CD da história (atrás somente do não menos magnífico “Revolver” dos Beatles), é eleito por mim, Renê um cd imperdível: se este é seu último dia na terra, como primeira coisa do dia leia o blog; como segunda, ouça Dark Side of the Moon.

Na primeira vez que escutei, admito que fiquei meio tipo “sim, qqiçomano?”, mas depois de ouvir umas  2, 3 vezes você passa a prestar mais atenção na “orquestralidade” das músicas…

As primeiras 2 músicas (3 dependendo da gravação) são quase integralmente instrumentais. Depois delas, vem “Time”, uma música com letras profundas e ritmo lindo. Após Time, chega “The Great Gig in the Sky”, onde se ouvem os gritos melancólicos (na primeira vez que ouvi achei engraçado) que passam (advinha) muita melancolia. Após, chega a hora de “Money”, uma música bem puxada para o blues, mais alto astral que as anteriores. A sétima música do cd é a magnífica “us and them”, que começa meio lenta mas depois pega ritmo; e, no final, há um lindo solo de saxofone (pqp dá vontade de chorar). Any Colour You Like: psicodelia mto doida UHEUHAEUH. A penúltima música do cd, “Brain Damage” se liga com a última, “Eclipse”; embora elas abordem temas completamente distintos.

Dark Side of the Moon é uma obra de arte consolidada, que deve ser ouvida a qualquer custo; por isso, disponibilizo o link aqui : http://www.4shared.com/file/_qlYQfwy/Pink_Floyd__Dark_side_of_the_m.htm

Ah, lembrei: EU TENHO O CD MUAHAHA

“Valente e forte pequeno Matador de Lobos”

O vampiro Lestat é um dos clássicos da escritora Anne Rice (que por sua vez é clássica em histórias de vampiro) e conta a história de Lestat de Lioncourt (pela voz do próprio) desde quando era humano até… bem, até.

Passei quase dois anos procurando esse livro. Sebo, livrarias, pactos com o diabo e nada… Me perguntem, por que não um e-book? Eu lhes digo, procurei tanto que já era uma questão de honra tê-lo, cheirá-lo, enfim… obsessões minhas (parei.)

Depois de tanto tempo o encontrei. (não vou nem entrar no mérito de dizer como foi, que se não perco o foco xD) E o que tenho a dizer?! Procuraria mais dois anos, se fosse preciso. Imaginem como minhas expectativas estavam altas. ALTAAAS. Pois é, elas foram superadas. Se eu gostei d’O entrevista com o vampiro (adorei, me apaixonei, mas isso é assunto pra outro post :x), sem palavras pra Lestat.

Continue lendo

Sweeney Todd: O barbeiro demoníaco da Rua Fleet

tão poderoso com essa lâmina em mãos

Sem enrolações: minha internet é ruim, e não deu tempo de assistir um filme mais novo pra postar por aqui. Então eu vou postar sobre Sweeney Todd, que é lindo, cantante, sangrento (de novo?), e apesar de ser um musical (eu odeio musicais, só pra constar) não é enjoado! E eu não sou suspeita pra falar, um musical tem que realmente ser bom pra que eu consiga assistir inteiro (é sério). A única coisa em que eu sou suspeita nesse filme é a junção que eu adoro: Tim Burton e Johnny Depp – só com a exceção de Alice que foi Disney mas não foi Burton, mas isso talvez seja assunto pra outro post – (se bem que só sendo Depp já fico feliz).

Voltando ao filme: é de 2007, e eu nem preciso reassistir pra comentar, considerando que já devo ter visto mais de 10 vezes. Continue lendo

Eu sei que não é meu dia de postar…

mas eu prometi que postaria este vídeo o quanto antes possível…

é um cara tocando violão clássico de 11 cordas *-*