Posts Tagged ‘ crítica ’

Candy (2006)

Nesse filme genial, Heath Ledger interpreta um viciado em drogas (Dan) que namora Candy (Abbie Cornish). Os dois vão vivendo a vida juntos e arranjando maneiras de sustentar o vício de ambos. Obviamente, surgem diversas complicações que consomem o relacionamento e o levam para um inevitável e triste fim.

[Resenha a seguir]

Continue lendo

Os Vampiros que se Mordam (Vampires Suck) [2010]

Vampire Sucks é uma sátira bem ao estilo Todo Mundo em Panico, só que satirizando a série Crepúsculo. O filme não tem história, e eu não consegui tirar muito mais pra falar na sinopse.

[Resenha a seguir]

Continue lendo

Hot Tub Time Machine (2010)

Antes de tudo, vou expressar minha revolta: de onde que esses tradutores tiram os nomes de filmes? Como que Hot Tub Time Machine virou “A Ressaca”? Pronto, expressei. E um aviso também, mini post à vista.

O filme conta a história de 4 homens – em suma, todos fracassados – que viajam para um resort de esqui onde 3 deles passaram momentos da juventude. Depois de uma noite de bebedeira, surpreendentemente acordam no ano de 1986, e descobrem que a banheira do hotel é na verdade uma máquina do tempo! Essa é a chance que eles têm de consertar o passado.

[Resenha a seguir]

Continue lendo

O Vôo da Coruja (Cry of the Owl – 2009)

O jovem Robert (Paddy Considine) muda-se para uma pequena cidade. Lá encontra uma pausa para observar secretamente o dia a dia de sua vizinha Jenne (Julia Stiles). Ao perceber que está sendo observada, Jenne sente uma estranha atração e curiosidade, então convida Robert para entrar em sua casa, e iniciam uma relação, que para ele trará consequências devastadoras. Ao ser surpreendido pelo ex-namorado ciumento de Jenne, iniciam uma briga que deixa Robert ferido e inconsciente, ao acordar descobre que é o principal suspeito de um assassinato e agora terá que provar sua inocência.*

Continue lendo

Nine Dead (2010)

Nove pessoas, aparentemente sem nenhuma ligação, são sequestradas e presas em uma sala (cada um algemado a um mastro). Um homem mascarado entra na sala, e promete a liberdade a todos a partir do momento em que descobrirem qual a ligação entre eles. O tempo limite é 90 minutos, e a cada 10 minutos sem a resposta, uma pessoa é morta.

Quando eu li a sinopse desse filme, eu realmente esperava um filme bem ao estilo Jogos Mortais, cheio de tripas, sangue e nojinho por todos os lados. Porém, a agradável surpresa é que é muito diferente. Não há preocupação com sangue e nojeirinhas, e sim com o pensamento. Sim, caro leitor, o que te prende à tela é a vontade de conseguir juntar os fatos e pessoas.

Continue lendo

[REC] e [REC]2

Eu amo filmes de terror, e eu amo filmes ensanguentados, e eu amo filmes com reviravoltas absurdas.

“pô, tão me chamando de incidente, mimimi”

[REC] se encaixa no terror ensanguentado e [REC]2 na reviravolta (nem tão) absurda. Tudo começa com a repórter Ángela Vidal (Manuela Velasco) e seu camera man Pablo (Pablo Rosso) indo fazer uma reportagem no Corpo de Bombeiros. Os bombeiros recebem um chamado para resolver um pequeno incidente com uma velha gritalhona num prédio. Ao chegarem lá, encontram o incidente em questão correndo ensanguentado pelo prédio e posteriormente descobrem que ela é portadora de um vírus transmitido por mordidas. O prédio é posto em quarentena.

Depois disso, é só um monte de zumbis loucos por cééérebro morder pessoas não infectadas. O diferencial do filme é que não se tem pra onde correr. A sensação de “inferno terreno” é absurda, e o fato das filmagens serem feitas na câmera de mão do camera man faz você realmente se sentir dentro do filme. Muito sangue, muita gritaria e vários sustos pra dar aquela incrementada. O mistério vai se desvendando mas no final  do filme você continua com aquela vontade de assistir mais e várias perguntas surgem: “Por que? Como começou? Vai acabar? São zumbis mesmo? É só raiva em humanos?”

Continue lendo