Posts Tagged ‘ terra média ’

“Alas! It is ill to walk in my shadow! Why did I seek aid? For now you are alone, O Master of Doom, as you should have known it must be.”

The Children of Húrin é o mais recente livro publicado de Tolkien… Espere, isso merece uma explicação. Recente?! Há inúmeras anotações inéditas que Tolkien deixou. Nosso querido, louvado, Christopher Tolkien pegou a bagunça toda, foi juntando os pedaços e tchrãns! Eis o livro novo de um autor morto há tempos. Agradeçam-no!

Voltando ao livro… Húrin Thalion era um grandioso guerreiro que foi capturado por servos de Melkor na Nirnaeth Arnoediad, batalha das lágrimas incontáveis. Por não revelar a localização de Gondolin (e, assim, trair seus amigos) ao Senhor do Escuro, ele e sua família recebem uma maldição. Túrin e Niënor, seus filhos, crescem, vivem e morrem sob esta sombra. O livro então nos trás este conto: o de Túrin Turambar e sua sina. Fadado ao fracasso e a morte em tudo que fez e, apesar disso, senhor de alguns dos maiores feitos dos homens. É uma história triste. Fala de destino, poder e (por que não?) MUITO azar. Continue lendo

Anúncios

“Não jure que caminhará no escuro aquele que não viu o cair da noite”

Para mim é muito difícil falar sobre O senhor dos Anéis. Por mais que leia e releia, não me canso – pelo contrário – meu fascínio aumenta. Aproximo-me mais de cada personagem, entendo-os mais, o que eles representam,  me emociono com a história. Arrepio-me. Essa resenha será uma declaração de amor por um autor que me acompanha há algum tempo e cuja obra sempre me encantará (não tenho medo de usar o sempre, neste caso). É por isso que é tão difícil, entendem? Ela me envolve demais. E é por isso que não escreverei apenas uma resenha para a série toda, como costumo. Cada livro terá a sua.

O senhor dos anéis conta história da demanda para destruir O Um Anel. Ele foi achado por Bilbo Bolseiro – tio de Frodo e um hobbit inusitado, aventureiro – na caverna de Gollum (falarei dele mais tarde). A principio ele é visto como um anel mágico, que deixa quem o usa invisível. Algo extraordinário, mas apenas isso. Gandalf, o cinzento, é quem descobre que aquele anel não é nem de longe um ‘simples’ anel mágico. É O um Anel. Anel onde Sauron, o senhor do escuro, pôs parte do seu poder; Anel que este perdeu e que ficou desaparecido na escuridão das montanhas até que Bilbo o achasse; Anel que, se voltar às mãos do senhor do escuro, tornará Mordor inexpugnável e selará o destino de todas as raças livres da terra média; Anel que só pode ser destruído pelo fogo que o criou, nas forjas da Montanha da perdição, no coração das terras de Sauron, sob os olhos da Barad-dûr, a torre escura.

Essa então não é, de longe, uma tarefa fácil. Continue lendo